27 04/2016

A Fase Zero

 

Supernova 

Acabamos de fechar mais um projeto de mercado de eventos. Isso é bom. Isso é muito bom!

E surgiu a questão:

"Porque nós não investimos neste projeto e criamos uma ferramenta completa?"

Me pareceu uma boa ideia. E como toda boa ideia anda de mãos dadas com as perguntas:

"E se fizermos  algo que não só solucione estes problemas para o qual fomos contratados, mas também outros problemas que o cliente encontra neste mercado? Hey, certamente existem outras pessoas por aí que possuem o mesmo problema e vários outros. Isso pode dar escala para nosso novo produto! Isso!!! "

E é geralmente nessas horas que minha mente vira um turbilhão de ideias e perguntas, como uma Supernova.

"Mas será que é o momento? Existe o tal momento? Quando é o momento? Vamos pensar e conversamos amanhã."

No dia seguinte, muito café, ideias na lousa, rodadas e rodadas de café filosóficos (olá Supernova) .

Está decidido, vamos investir nesse projeto. Vamos além.

 

work

 

Foram dias e noites em frente ao computador, varrendo Bits... Códigos e mais códigos até chegar numa versão viável e estável . Mas enquanto trabalhamos pesado no desenvolvimento do produto, temos também de atender as necessidades do projeto para o qual fomos contratados. Isso fez com que nossa jornada fosse de quase 18 horas por dia... por dias. Finais de semana quase não existiam; vida pessoal mantida na marra... Alguns encontros com amigos e familiares, mas apenas de corpo presente, a cabeça totalmente focada no novo negocio.

Começa o evento do cliente.

Pressão, prazo, ajustes de pequenos problemas. Almoço? Sem chance, o tempo nos permite apenas um lanche. Para variar, entramos no ritmo do cliente e isso é muito bom, pois sentimos na pele a dor dele.

No final, deu tudo certo e o evento foi um sucesso. Agora esta na hora de aprender, melhorar, aprimorar e criar novas funcionalidades.  É um ciclo contínuo. Estamos orgulhosos e queremos mais. Ir além, lembra?

Vamos buscar mais mercado, aprender mais e errar mais rápido. Definiremos o que é nossa fase zero. É uma versão próxima ao ideal e que entrega mais fôlego, foco e ajuda nosso cliente a vender mais. Temos que entender o momento que o país está passando.

Fase zero definida. Agora precisamos conciliar o desenvolvimento e uso. É quase como tentar turbinar um motor do carro com ele em movimento. É cirúrgico. Definição de processos, implementação de melhorias, estruturação do negócio, suporte, comercial, marketing, financeiro e o dia a dia. O modelo self-investor não é fácil mas é onde mais se aprende. Você acaba dando mais valor para cada movimento. Mais do que isso, você presta atenção em cada movimento.

Em alguns momentos você não sabe que dia da semana você está. Quase não há tempo para conversar com seu próprio sócio. Aproveita um almoço, ou o percurso até o cliente para as pequenas reuniões para conversar um pouco sobre algo que não seja o negócio (impossível, claro).

É chegado o momento de parar tudo para avaliar em que ponto estamos. Concluímos a fase zero.

E é só o começo. O tal do ciclo contínuo.

Precisamos partir para Fase 1.

Primeira etapa da Fase 1: - temos café?

Comentários